Da greve estudantil até agora: O que mudou na Medicina UFSCar?

9 Comentários // em Greve Movimento Estudantil Notícias UFSCar Vestibular // 4 de janeiro de 2014

Da greve estudantil até agora: O que mudou na Medicina UFSCar?

Departamento de Medicina da UFSCar

Está estampado em todos os portais de informação: o ano de 2013 foi turbulento para os estudantes de Medicina da Universidade Federal de São Carlos, a única universidade federal no interior do estado de São Paulo. Logo no início de 2013, a ausência das atividades práticas previstas pelo projeto político pedagógico do curso levou os estudantes do 1º ao 4º ano a uma greve… Ah, a famigerada greve dos estudantes de Medicina da UFSCar! A greve que reivindicou a entrega de prédios e laboratórios, contratação de um número adequado de preceptores, garantia de cenários de prática suficientes… A greve que chamou atenção por suas manifestações ousadas, que levou os estudantes às ruas, à Câmara e à Prefeitura Municipais de São Carlos, e, até mesmo, à Brasília… A greve que durou 82 dias, exaurindo os estudantes e culminando em uma carta que pedia o fechamento do curso. E foi isso o que a mídia mostrou. Mas o que mudou desde então?

Primeiramente, vale ressaltar que o curso não fechou ou remanejou estudantes, não reduziu ou deixou de abrir vagas para o vestibular, que as atividades estão sendo realizadas, incluindo os estágios práticos…  E que não, não há previsão de fechamento do curso, caso restem dúvidas.

Enquanto alguns dos desenrolares da greve foram extremamente divulgados, outros, tão importantes quanto, não foram divulgados para além-universidade.

Ainda durante a greve, após diversas sessões na Câmara Municipal de São Carlos, uma lei que regulamenta a contratação de preceptores foi aprovada, depois que os alunos lotaram diversas das semanais sessões dos vereadores. Contudo, isso não foi suficiente para que todas as atividades práticas dos 3º e 4º anos, que são feitas em Unidades Básicas de Saúde, acontecessem em São Carlos, e parte dos estudantes realizaram seus estágios em Rio Claro.

Parte do DMed 2 (Departamento de Medicina 2), um prédio laboratorial, foi entregue. De acordo com a reitoria, o prédio será concluído em etapas, de acordo com solicitações de laboratórios por parte da chefia do departamento de Medicina.

O prédio da USPP-S (Unidade de Simulações da Prática Profissional em Saúde) foi finalmente entregue. A inauguração do prédio, usado para as atividades de simulação de práticas em saúde, aconteceu no dia 9 de setembro, sendo uma representação concreta das conquistas que a greve estudantil proporcionou aos alunos.

Mas a notícia que ganhou a mídia no final do ano de 2013 foi a seguinte: a prefeitura municipal de São Carlos finalmente concordou com a Federalização do Hospital Escola. O hospital passará das mãos do município para a universidade já no primeiro mês de 2014 e deve estar em pleno funcionamento até 2015, aumentando o campo de atuação acadêmica e trazendo uma proposta de melhora do serviço público de saúde de São Carlos e região.

O final de 2013 reservou ainda outras notícias animadoras: a universidade e a Santa Casa de Misericórdia de São Carlos finalmente entraram em acordo e parte dos estágios do internato acontecerão no hospital já a partir de 2014.

As reuniões em Brasília também deram resultado: no final do ano, a coordenação do curso de Medicina da UFSCar soube que 29 vagas docentes foram liberadas para o curso pelo Ministério da Educação. A notícia foi recebida com otimismo, uma vez que essas vagas podem  melhorar o quadro de preceptores, somando docentes a essa função, e aumentando o vínculo da universidade com o município.

Depois de um 2013 conturbado, mas, felizmente, de várias conquistas, é com esse cenário promissor que o curso de Medicina da Universidade Federal de São Carlos começará o ano de 2014.

Hendrick Gramasco – Turma VIII 013

“Sonho que se sonha só
É só um sonho que se sonha só
Mas sonho que se sonha junto é realidade.”
Raul Seixas

CAMSA apoia movimento estudantil na FAMEMA

0 Comentários // em CAMSA DENEM Greve Medicina Movimento Estudantil // 12 de junho de 2013

Moção de Apoio aos Estudante da Faculdade de Medicina de Marília

 

O Centro Acadêmico de Medicina Sérgio Arouca vem manifestar apoio em nome dos estudantes de medicina da UFSCar aos alunos do curso de medicina da FAMEMA que se organizaram para reivindicar melhorias na estrutura de ensino e para isso vão paralisar às atividades no dia 25 de junho numa demonstração de insatisfação com a constante precarização que vem sofrendo.

        Nossos cursos possuem propostas e métodos parecidos e com isso compartilhamos muitas características positivas e pontos fortes . Compartilhamos também, infelizmente, muitos problemas. Nos colocamos então a disposição para dialogarmos e encontrarmos maneiras de superarmos as dificuldades nesse momento que vivemos de precarização e negligência com a educação médica para construirmos juntos as lutas por melhorias que reivindicamos.

        As manifestações por condições adequadas de ensino e atuação foram pauta do movimento de greve de estudantes na medicina da UFSCar e o apoio recebido do DACA nos motivou a continuar lutando por uma educação médica de qualidade. Declaramos que é completamente recíproco o apoio e nos colocamos a disposição para ajudar os estudantes nessa movimentação como for necessário.

 

São Carlos, 11 de Junho de 2013

Centro Acadêmico de Medicina Sérgio Arouca

 

DACA da FAMEMA manifesta seu apoio

0 Comentários // em CAMSA Greve Medicina Movimento Estudantil Notícias Paralisação UFSCar // 31 de março de 2013

Em moção de apoio publicada em sua página do facebook em 14 de março de 2013, o Diretório Acadêmico Cristiano Altenfelder, órgão de representação máxima dos estudantes de medicina da Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA), manifesta seu apoio e mais uma vez legitima o movimento de greve dos estudantes de medicina da UFSCar. Segue texto na íntegra:

“Marília, 14 de março de 2013.

MOÇÃO DE APOIO À GREVE DO ESTUDANTES DE MEDICINA DA UFSCAR

O Diretório Acadêmico Christiano Altenfelder, órgão de representação máxima dos estudantes de medicina da Faculdade de Medicina de Marília (Famema), manifesta seu apoio aos estudantes de medicina da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) que lutam por melhorias na graduação e decidiram em assembleia geral pela greve estudantil.

Entendemos que a a precarização do ensino, falta de professores e infraestrutura, são problemas comuns a muitos estudantes, e são consequência do sucateamento da universidade brasileira. Desta forma, todo o movimento estudantil deve se engajar na luta por uma educação de qualidade, à exemplo dos colegas da UFSCar que estão se mobilizando em defesa dos interesses estudantis e da população que merece ser atendida por médicos bem formados, críticos e competentes para exercer sua profissão.

Nos colocamos à disposição para colaborar com os colegas nessa luta!

Todo apoio à luta dos estudantes!

Diretório Acadêmico Christiano Altenfelter – DACA Famema
Gestão 2012/2013 – “Construção””

DACA da FAMEMA manifesta seu apoio

 Informe-se mais em nosso blog da greve.

Estudantes de Medicina da UNICAMP apoiam nosso movimento

0 Comentários // em CAMSA Movimento Estudantil Paralisação UFSCar //

O Centro Acadêmico Adolfo Lutz, órgão representante dos estudantes de medicina da UNICAMP, publica em seu site, em 13 de março de 2013, moção de apoio ao Movimento de Greve organizado pelos estudantes de medicina da UFSCar. Abaixo o texto na íntegra

“MOÇÃO DE APOIO À GREVE ESTUDANTIL NA UFSCAR

O Centro Acadêmico Adolfo Lutz, órgão de representação máxima dos estudantes de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (FCM/UNICAMP), vem por meio desta tornar público o apoio aos estudantes de Medicina da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) que decirdiram em Assembléia Geral pela Greve Estudantil.

A falta de docentes e preceptores nos campos de estágio e o constante atraso em obras são alguns dos problemas enfrentados pelos colegas em São Carlos e que revelam uma constante na Educação Brasileira: o Sucateamento deste serviço para a população estudantil e toda a sociedade, que não contam com condições adequadas para desempenho de atividades ligadas ao ensino, à pesquisa e à extensão.

Neste sentido, vemos na atitude dos estudantes da UFSCar um exemplo a ser seguido e um importante marco do movimento estudantil em defesa dor interesses acadêmicos e da população, que merece médicos críticos e bem formados para atender a reais demandas da sociedade.

Por uma educação de qualidade!

Todo o apoio à greve!

Saudações Estudantis!

Centro Acadêmico Adolfo Lutz – Medicina UNICAMP

Gestão – “É Tempo” 2012/2013″

Estudantes de Medicina da UNICAMP apoiam nosso movimento

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DOS ESTUDANTES DE MEDICINA DA UFSCar

0 Comentários // em CAMSA Greve Movimento Estudantil Paralisação Rede Escola UFSCar //

Seguem as reivindicações dos estudantes de Medicina da UFSCar em greve, publicadas em 15 de março, como anexo do Manifesto dos Estudantes:

  1. Não retaliação acadêmica, administrativa, nem jurídica aos estudantes em greve.
  2. Reposição integral da carga horária de todos os anos do período de greve e da carga horária prática do 3º e 4º anos, perdida devido à falta de preceptores.
  3. O número adequado de preceptores no município de São Carlos para a viabilização das atividades do segundo ciclo, com estímulo ao credenciamento desses profissionais.
  4. Um número adequado de USF’s para realização da prática dos ciclos I ao III de acordo com o projeto político pedagógico do curso.
  5. O número mínimo de 5 docentes para cada atividade curricular ( SP, ES E RP) por série, além da criação de um plano para fixação docente.
  6. Que o cronograma de oficinas seja cumprido, inclusive as que não foram realizadas em anos letivos anteriores como as que estão previstas para as respectivas séries dos alunos. As datas das oficinas deverão ser acordadas no início do ano letivo já com a indicação dos professores responsáveis por ministra-las.
  7. A entrega e funcionamento do USPPS, com técnico que saiba utilizar todos os equipamentos e capacitar os monitores em 30 dias.
  8. Transparência nas negociações do internato, com representação discente em todas as reuniões e acesso a todos os documentos oficiais, além da comprovação da qualidade do estágio realizada por um órgão competente.
  9. A garantia da inserção discente nos demais laboratórios do CCBS.
  10. O estabelecimento e o cumprimento de uma data para entregada do DMed 2, com os laboratórios devidamente equipados e funcionando.
  11. Reivindicamos que a Instituição ofereça oportunidades de estágio a todos os alunos na própria UFSCar, mas que ainda assim, seja permitida a realização da ACC em outras instituições, e que nesse caso, o Departamento de Medicina da UFSCar faça o contato interinstitucional ou convênios quando estes forem necessários.
  12. Uma matriz curricular específica e detalhada para cada série, do primeiro ao sexto ano, contemplando todas as áreas do conhecimento necessário.
  13. Que os orientadores pedagógicos cumpram com seu papel de direcionamento dos estudantes frente à ACC (reuniões formais 2 vezes ao ano, uma vez em cada semestre, em caráter formal e presencial, faça uso de prontuário do estudante que se encontra na secretaria geral, e/ou portfólio para orientá-lo nas discussões relacionadas ao seu processo de aprendizagem, que faça um relato sobre os encontros formais em formulário específico, cabendo ao orientador o primeiro contato com o estudante).
Página 1 de 212
  • RSS
  • Email
  • Facebook
  • Google+
  • Twitter
  • Flickr
  • YouTube