0

Infidelidade.com: a economia dos afetos nos sites brasileiros de traição

Responsável: Prof.a Dr.a Larissa Pelúcio (FAAC-Unesp/Bauru)

Resumo – O fenômeno dos sites voltados para relações extraconjugais é ainda recente no Brasil, mas de acordo com as informações dos administradores dos mesmos, o número de usuários/as vem crescendo exponencialmente no País. Nesta pesquisa nos voltamos para dois destes sites que dividem este promissor mercado. Ainda que a “traição sigilosa” seja o mote de convencimento à adesão, levantamos como hipótese que o grande atrativo está, de fato, na proposta menos evidente: manter valores familistas, ou seja, proteger o casamento monogâmico, proporcionando aos/às clientes affairs episódicos que teoricamente não interfeririam na relação estável. A traição como marca de um relacionamento falho parece ser resignificada nesse contexto on-line, uma vez que não são poucos os relatos nos quais homens e mulheres se declaram satisfeitos com o casamento que têm. Analisando os slogans dos sites propomos que ali a infidelidade é vendida como aventura, capaz de proporcionar lazer, sem nunca questionar o casamento monogâmico como modelo a ser seguido. Para desenvolver este trabalho nos valemos de etnografia on-line a fim de conhecer a dinâmica das interações nestas plataformas, nas quais romance e mercado se associam de modo aparentemente reiterativo das convenções burguesas. As questões que levantamos neste momento referem-se aos significados do amor romântico, do casamento, da fidelidade e traição nestes ambientes, considerando-se além das marcações de gênero os recortes de classe e geracionais.