Monarquia Espanhola

Exercícios

FORMAÇÃO DA MONARQUIA ESPANHOLA

HISTÓRIA GERAL II: TEXTO COMPLEMENTAR

Guerras de Reconquista: Formação da Monarquia Nacional Espanhola 

            A reconquista da Península Ibérica foi fator importantíssimo para a formação da Monarquia Nacional Espanhola, bem como de Portugal, pois somente pela união da maioria do território espanhol foi que a Espanha conseguiu expulsar por completo a ameaça Árabe da Europa. Não podemos esquecer que os atritos entre os valis (governadores – estavam abaixo dos califas) em busca de independência das suas províncias tornaram o califado de Córdova vulnerável, fazendo com que o califa, em 1031, por não suportar mais as lutas contra seus companheiros e as incursões cristãs, abdicasse. Assim foram constituídos os emirados independentes de: Múrcia, Badajoz, Granada, Saragoça, Maiorca, Valência, Sevilha, Toledo e Córdova, que por sua vez guerreavam entre si.

            A realidade da reconquista somente acontece quando Pelágio, asturiano, conquista sua primeira vitória em Covadonga, sendo proclamado pelos companheiros, rei (Koenige – rei na forma germânica), após ter sido escolhido (gewaehlte) para o comando.

            O reino de Leão, anteriormente fora: um pequeno reino com capital Gijon, no Mar Cantábrico, que em 760 se transformara no reino de Oviedo, este por sua vez em 914 se torna o reino de Leão. Após estes acontecimentos outros reis vieram e contribuíram para o crescimento do reino de Leão. Outros reinos também começavam a levantar, como Navarra, que fora parte do império franco de Carlos Magno com o condado de Barcelona, constituiu-se com Estado independente tendo Pamplona como capital, vindo a ser reconhecido na dieta de Tribur em 837. Fora por um momento, detentora dos territórios cristãos da península, porém com a morte de seu unificador, Sancho III, o Grande,  o reino foi novamente desmembrado.

            Do desmembramento do Reino de Navarra, Aragão ficou com um dos herdeiros de Sancho III, o Grande, Castela, que fazia parte de Leão, ficou para o outro herdeiro. Navarra era um território pequeno rodeado por cadeias montanhosas, não tendo condições consideráveis para assumir os acontecimentos, se manteve isolada.

            Navarra passou ao domínio francês após o casamento entre sua ultima princesa com Felipe, o Belo (1248). Fernando, o Católico, rei de Aragão, casou-se com Isabel de Castela, desta união e após a conquista da Alta Navarra em 1512, formou-se a Espanha. Aragão não teve muita participação na reconquista como Castela e Leão, mas não deixou de rechaçar os árabes ainda presentes na península, conquistou Huesca e estabeleceu sua capital em Saragoça. A Espanha se constituiu como Monarquia Nacional após a conquista de Granada em 1492.