Acesse a publicação do Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil aqui. A pesquisa é resultado de uma consultoria do GEVAC – UFSCar à Secretaria Nacional de Juventude / Secretaria Geral da Presidência da República para analisar os dados do DEPEN (2005-2012) e do SINASE (2011-2012). A análise mostra o crescimento do número de presos no país, com análises por idade, cor/raça e gênero, por Estados. Inclui comparação entre evolução do encarceramento e das taxas de homicídio. Conclui que o crescimento do encarceramento é impulsionado pela prisão de jovens e de negros e que o crescimento do número de presos não está relacionado à redução de homicídios.

Compartilhamos aqui o relatório da pesquisa “Justiça restaurativa e mediação:

experiências inovadoras de administração institucional de conflitos em São Paulo”, realizado por Jacqueline Sinhoretto, Juliana Tonche e Áudria Ozores em 2012. É parte de uma pesquisa que fizemos junto ao INCT – InEAC com financiamento do Ministério da Justiça / Secretaria da Reforma do Judiciário

Boa leitura!

RELAT sinhoretto tonche ozores

Dias: 21,22 e 23 de outubro de 2014.

Local: UFSCar

O Colóquio Internacional Justiça, Política e Sociedade é um evento promovido pelo Programa de Pós Graduação em Sociologia da UFSCar.   O evento visa contemplar o debate contemporâneo sobre justiça, crime e política bem como  sobre justiça, democracia e desigualdades, com enfoque especial nas experiências latino-americanas, sem perder de vista outras contribuições internacionais, que caracterizam a circulação de ideias no eixo norte-sul.

O objetivo do colóquio é contribuir para desfazer fronteiras que dificultam os intercâmbios entre duas temáticas de estudos sobre a justiça: a que lida com o crime, as organizações bastardas e os pobres e aquela que aborda as instituições, a política e as elites. Embora na vida cotidiana essas linhas demarcatórias tenham sido borradas, como ilustra o caso da criminalização da política, nos debates acadêmicos os grupos de trabalho  encontram-se em reuniões específicas promovendo pouca troca entre essas formas de recortar as problemáticas da justiça.

Acreditamos que o espaço de diálogo proporcionado por esse evento, entre pesquisadores de experiência consolidada nessas temáticas no PPGS – UFSCar e em outras instituições de ensino e pesquisa nacionais e internacionais, com jovens pesquisadores em formação na Linha de Pesquisa e em outros programas de Pós-Graduação possibilitará um amadurecimento profícuo para a compreensão dos achados das investigações, que aprofundam e hibridizam o conhecimento sobre as  mudanças e as persistências no complexo judicial.

Parceria entre PPGS – UFSCar, GEVAC, Grupo Sociologia das Profissões e Núcleo de Estudos em Direito, Justiça e Sociedade.

Para mais informações, clique.

Próxima reunião do GEVAC será dia 02/06/2014. Para mais informações, clique.

Convidamos a todxs para a defesa da dissertação de David E. Marques da Silva.

Título: Da festa à chacina: formas de gestão do crime, da violência e da pobreza em São Carlos/SP

Data: 30/05/2014
Horário: 10h
Local: Auditório da UEIM – CECH

Orientadora: Profª. Drª. Jacqueline Sinhoretto – UFSCar

Banca examinadora:
Prof. Dr. Leonardo Damasceno de Sá – UFC
Prof. Dr. Fabio José Bechara Sanchez – UFSCar

In: Notícias

6 Apr 2014

Foi divulgada no dia 02 de abril, no auditório da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, a pesquisa Desigualdade Racial e Segurança Pública em São Paulo.

O evento contou com a participação de autoridades da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, da Polícia Militar do Estado de São Paulo e membros dos associativismo antirracista.

A pesquisa foi organizada pela Profa. Dra. Jacqueline Sinhoretto, líder do GEVAC e coordenadora do Programa de Pós-graduação em Sociologia da UFSCar.

A pesquisa teve ainda participação de mestrandxs e doutorandxs, membros do GEVAC.

Confira abaixo algumas imagens do evento.

Fotos: Giane Silvestre

Já está disponível para download o sumário executivo da pesquisa “Desigualdade e segurança pública em São Paulo: letalidade policial e prisões em flagrante”

Clique aqui e tenha acesso ao relatório*

*versão atualizada em 02/04/2014 às 16h29min

Amanhã, dia 02/04 às 9h00min.

Compareça, divulgue!

Pesquisa da UFSCar aponta desigualdade racial na ação da PM em SP

Pesquisadores constataram que negros são maioria entre vítimas de mortes cometidas por policias, são mais presos em flagrante e mais visados em abordagens.

Pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos realizaram uma pesquisa inédita sobre o racismo na ação da Polícia Militar paulista. Os dados obtidos em entrevistas com policiais, observação das abordagens e análise de dados estatísticos mostram que os policiais matam e prendem mais pessoas negras do que brancas. Coordenada pela Profa. Dra. Jacqueline Sinhoretto, do Grupo de Estudos sobre Violência e Administração de Conflitos do Departamento de Sociologia da UFSCar, a pesquisa analisou Inquéritos Policiais que versam sobre mortes cometidas por policias e que são acompanhados pela Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo e ainda dados obtidos junto à Secretaria de Segurança Pública. Além disso, foram entrevistados oficiais e praças da PM. A pesquisa descobriu que em São Paulo, nos anos de 2010 e 2011, entre as vítimas de mortes cometidas por policiais, 58% são negras, ao passo que na população residente do estado o percentual de negros é de 34%. Para cada grupo de 100 mil habitantes negros, foi morto 1,4, ao passo que, para cada grupo de 100 mil habitantes brancos, foi morto 0,5. Segundo a coordenadora da pesquisa, estes números deixam evidente a ausência de políticas de segurança pública para a população negra, que culmina nas altas taxas de mortalidade por homicídio neste grupo. Além da produção da desigualdade racial na letalidade policial, a pesquisa constatou ainda que a vigilância policial é operada de modo racializado. Em São Paulo, a taxa de flagrantes de negros é mais que o dobro da verificada para brancos. Também segundo Sinhoretto, estes dados expressam que a vigilância policial privilegia as pessoas negras e as reconhece como suspeitos criminais, flagrando em maior intensidade as suas condutas ilegais, ao passo que os brancos gozam de menor vigilância da polícia para suas atividades criminais.

A pesquisa será apresentada em evento da Escola da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, no dia 02 de abril, às 9h30, no Auditório da Rua Boa Vista, 200, na região central da capital. Para saber mais, entrar em contato pelo email segurancaerelacoesraciais@gmail.com

Serviço: Apresentação dos resultados da pesquisa “Desigualdade racial e segurança pública”

Onde: Escola da Defensoria Pública do Estado de São Paulo – Rua Boa Vista, 200 – Centro – São Paulo – SP Data: 02 de abril de 2014

Horário: 9h30

Próxima reunião do GEVAC será dia 31/03/2014. Para mais informações, clique.

Convidamos todxs para o evento “Quartas Sociológicas” a ser realizado dia 01/04/2014, às 10h no auditório do CECH, AT2, na UFSCar.

O evento consistirá na apresentação da pesquisa intitulada:

“Desigualdade racial e segurança pública em São Paulo: letalidade policial e prisões em flagrantes.”

Profª. Drª. Jacqueline Sinhoretto *

Participação: Prof. Dr. Valter Roberto Silvério ** e

Pós-graduandos Danilo Morais, Giane Silvestre, Maria Carolina Schlittler e Paulo César Ramos, integrantes do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFSCar.

Evento realizado pelo Programa de Pós Graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos

* Tem graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1995), mestrado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (2001) e doutorado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (2007). É professora adjunta da Universidade Federal de São Carlos / Departamento de Sociologia, onde atualmente coordena o Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Lidera o Grupo de Estudos sobre Violência e Administração de Conflitos da UFSCar. Realizou estágio pós-doutoral na Université de Toulouse – Le Mirail, com bolsa Hermès da Fondation Maison des Sciences de L’Homme (Paris). Tem experiência em Sociologia da Administração da justiça e Sociologia da Violência, atuando principalmente nos seguintes temas: administração institucional de conflitos, acesso à justiça, violência, segurança pública, sistema de justiça, prisões, controle estatal do crime. É pesquisadora do INCT Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos.

** Possui graduação e Bacharelado em Ciências Políticas e Sociais pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (1985), mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1992) e doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (1999). Atualmente é professor associado do Departamento e Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Relações Raciais, atuando principalmente nos seguintes temas: relações raciais, educação, ação afirmativa, cidadania e afro-brasileiros.

Sobre o GEVAC

O objetivo do GEVAC e o debate e a producao do conhecimento sobre os temas da violencia, suas manifestacoes em contextos especificos; a compreensao dos fenomenos no contexto global de transformacoes sociais; as formas estatais de controle e gestao da violencia; politicas publicas de seguranca e justica;

Calendário

June 2016
M T W T F S S
« Apr    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930