2 girls 1 cuptwo girls one cup2 girls 1 cup2 girls 1 cup

ANTROPOLOGIA DA CRIANÇA

PROFA. CLARICE COHN

PPGAS/UFSCar

1º. SEMESTRE DE 2009

O objetivo dessa disciplina é apresentar o campo de pesquisas que se abre quando a antropologia foca as crianças como objeto e/ou interlocutoras. Nas últimas décadas, a criança vem sendo estudada pela antropologia de um modo inovador, que a toma como sujeito social pleno. Embora não se possa dizer que a antropologia nunca havia se dedicado a estudos sobre crianças, é verdade que por muito tempo elas eram tomadas como um vir-a-ser, uma condição transitória e moldável para uma condição outra, a do adulto. Tomar a criança como sujeito social pleno significa perceber sua atuação no mundo como produtora de relações e sentidos sobre o mundo. No limite, significa poder perceber os mundos sociais de modo inovador, a partir desse outro ponto de vista e atuação, das crianças.

O curso está estruturado de modo a apresentar o desenvolvimento desse campo de pesquisa e seu processo de consolidação; as tendências contemporâneas e os debates conceituais e analíticos; os desafios metodológicos envolvidos na prática de pesquisa que toma a criança como foco e interlocutora. Em um segundo momento, serão debatidas pesquisas que discutam noções sociais de infância e aquelas que analisem a agência e a produção de sentidos pelas crianças.

Apresentação do curso

Antropologia da criança: dos estudos de enculturação e socialização à agência da criança

BARNOUW, Victor (1967) – Cultura y Personalidad. Buenos Aires, Ediciones Troquel.

MEAD, Margaret (1963 [1930]) – Growing up in New Guinea. London, Penguin Books.

MEAD, Margaret (1955) – “Children and ritual in Bali” in: Margaret Mead and Martha Wolfenstein, Childhood in contemporary cultures. Chicago, The University of Chicago Press, pp. 40-51.

RICHARDS, Audrey I. 1973. “Socialization and Contemporary British Anthropology”. En: Phillip Mayer (ed.) Socialization: the approach from social anthropology. Londres, Tavistock Publications.

COHN, Clarice. Antropologia da Criança. Rio de Janeiro, Zahar, 2005.

Noções sociais de infância

ARIÈS, Philippe (1988) – A criança e a vida familiar no Antigo Regime. Lisboa, Relógio D’Água.

COHN, Clarice. 2000. 2000. “Noções sociais de infância e desenvolvimento infantil”. Cadernos de Campo nº 9, ano 10, pp. 13-26.

2000. “Crescendo como um Xikrin: uma análise da infância e do desenvolvimento infantil entre os Kayapó-Xikrin do Bacajá”. Revista de Antropologia, v. 43 nº 2, pp. 195-222.

HOWELL, Signe (1988) – “From Child to Human: Chewong Concepts of Self”. in: Gustav Jahoda and I. M. Lewis (ed) - Acquiring Culture: Cross Cultural Studies in Child Development, London/New York/Sydney, Croom Helm.

A produção de sentidos pela criança

TOREN, Christina. Mind, Materiality and History. Explorations in Fijian Ethnography. Routledge, 1999.

TOREN, Christina. 2003. “Becoming a Christian in Fiji: an ethnographic study of ontogeny”. Journal of the Royal Anthropological Institute 10, 709-727.

Desafios metodológicos da pesquisa antropológica com crianças

MEAD, Margaret. 1985 [1930]. Educación y cultura en Nueva Guinea. Barcelona, Paidos Studio.

TOREN, Christina. 1990. Making sense of hierarchy: cognition as social process in Fiji. London: Athlone Press.

COHN, C. 2005: “O desenho das crianças e o antropólogo: reflexões a partir das crianças mebengokré- xikrin”. VI Reunión de Antropología del Mercosur, Montevideo, Uruguay. 16 - 18 de Noviembre.

PIRES, Flávia. Ser adulta e pesquisar crianças: explorando possibilidades metodológicas na pesquisa antropológica. Revista de Antropologia. 2007, v. 50, n. 1. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100006&lng=en&nrm=iso>.

JAMES, Allison & CHRISTENSEN, Pia (eds.) 2000 Research with Children. Perspectives and Practices, London/New York, Falmer Press.

Crianças indígenas I:

FERNANDES, Florestan (1976) - “Aspectos da educação na sociedade Tupinambá” in: Schaden, Egon - Leituras de etnologia brasileira. São Paulo, Companhia Editora Nacional, pp. 63-86.

SCHADEN, Egon (1945) - “Educação e magia nas cerimônias de iniciação” in: Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. n. 8, vol. III, pp. 271-274.

SCHADEN, Egon (1962) – Aspectos fundamentais da cultura guaraní. São Paulo, Difusão Européia do Livro.

SCHADEN, Egon (1976) - “Educação indígena” in: Problemas Brasileiros, ano XIV, n. 152, pp. 23-32.

Crianças Indígenas II

LOPES DA SILVA, A. & PEREIRA, A. N. (org.), Crianças indígenas. Ensaios antropológicos, São Paulo, Global/MARI-USP/FAPESP.

TASSINARI, Antonella Maria Imperatriz. Concepções indígenas de infância no Brasil . Tellus, Campo Grande, v. 7, n. 13, p. 11-25 Mai-Out/2007; disponível em http://biblioteca.ricesu.com.br/ler.php?art_cod=6043

LECZNIESKI, Lisiane Koller. Estranhos laços: predação e cuidado entre os Kadiweu. Tese de Doutorado. UFSC, 2005.

Crianças e educação indígena

OLIVEIRA, Melissa Santana. Nhanhembo`é: infância, educação e religião entre os Guarani de M`biguaçu. Cadernos de Campo 13 ano 14, 2005.

CODONHO, Camila G. Aprendendo entre pares: a transmissão horizontal de saberes entre as crianças indígenas Galibi-Marwono. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina, 2007.

ALVAREZ, Myriam Martins. Kitoko Maxakali: a criança indígena e os processos de formação, aprendizagem e escolarização. Revista Anthropologicas, ano 8, volume 15(1): 49-78 (2004).

Antropologia da Criança e Antropologia da Religião

PIRES, Flávia Ferreira 2007 Quem tem medo de mal-assombro? Religião e infância no semi-árido nordestino, Rio de Janeiro, tese, Museu Nacional, UFRJ.

Antropologia da criança em Argentina: debate com Lic. Noelia Enriz (UBA/CONICET)

Participação da Lic. Noelia Enriz (tema a ser sugerido)

Crianças de rua

CALAF, Priscila Pinto. Criança faz criança: (des)construindo sexualidade e infância com meninos e meninas de rua. Dissertação de Mestrado. Universidade de Brasília (UnB). 2008.

GREGORI, María Filomena 2000. Viração. Experiências de meninos de rua, São Paulo, Companhia das Letras.

Adoção e família

FONSECA, Claudia. Nos Caminhos da Adoção. Cortez, 1995.

FONSECA, C. L. W. . Da circulação de crianças à adoção internacional: questões de pertencimento e posse. Cadernos Pagu, v. 26, p. 11-44, 2006.

RIBEIRO, Fernanda Bittencourt. 2007. Crianças de CAVAL, crianças em perigo: “Os grandes” e seus dilemas numa instituição de proteção à infância. Trabalho apresentado no 31º. Encontro Anual da Anpocs. Disponível em: http://201.48.149.88/anpocs/AprovacaoSt.asp?IdAtividade=229&tipo=E#

A criança atendida: voluntariado

FIORAVANTI, Raphael H. “Voluntários do coração”: uma abordagem antropológica sobre o trabalho voluntário no Hospital Pequeno Príncipe. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Paraná, 2006. in: http://hdl.handle.net/1884/8362

WAINER, Rafael. “Hacia una Antropología del morir-entre-nosotros o cómo entender el afecto en el final de la vida en niñ@s”. Trabalho inédito.

conclusão